A Estratégia da Montanha

By Rafael • • 11 dez 2012

“O que pode tornar os rios e os mares reis dos cem vales é saber situar-se embaixo. Por isso podem ser os reis dos cem vales. Assim, o homem sagrado aspirando estar acima dos homens, coloca suas palavras abaixo das deles. Aspirando estar à frente dos homens, coloca seu corpo atrás dos deles. Portanto, situa-se em cima, mas seu povo não sente o peso. Situa-se à frente, porém o povo não é lesado. Assim, o mundo alegra-se em exaltá-lo, porém sem desgosto. Como ele não disputa, o mundo não pode disputar com ele”. Lao Tse, Capítulo 66

Newton Rezende, Economista Professor de Arte da Guerra

Jornal Tao do Taoísmo – n. 17 índice

No Yi Jing (I Ching) o hexagrama “Humildade” se caracteriza pelo fato do imponente trigrama Montanha colocar-se embaixo do trigrama Terra…

Essa estratégia da montanha é a conduta que representa a humildade. Uma pessoa que é capaz disso é segura e serena internamente (como o trigrama Montanha) e se mantém receptiva (trigrama Terra) às energias externas, às palavras e às pessoas. A humildade é uma postura tão poderosa que abre qualquer porta, e possibilita conquistas sem o uso da força. Ela sempre trará um resultado favorável, independente do momento, posição ou situação. Porém, o verdadeiro espírito da humildade só é incorporado quando você o coloca no coração, e essa tarefa não é tão fácil. Entretanto com estudo e prática, é possível chegar lá.

O que os sábios taoístas falam sobre a prática da humildade?

A primeira lição é jamais se colocar como superior. A atitude interior adequada é a de se considerar como aquele que está entre todos os seres. Quem se vê com plenitude, não abre espaço para o desenvolvimento. Humildade é ter o espírito do principiante que tem espaço interior e sabe que sempre há muito a aprender. Essa atitude conquista corações de maneira invisível, desperta o respeito e atrai o apoio das pessoas.

O segundo passo na prática da humildade é não supervalorizar as coisas. O correto é ser realista com você e com os outros, senão você poderá ser demasiadamente crítico com as pessoas ou se frustrar, caso não consiga atingir as elevadas metas.

A terceira técnica nesse caminho, é ser flexível nas relações sociais como forma de contornar os bloqueios. Sem tolerância não há situação ou relacionamento que perdure. Porém, jamais ceda naquilo que é essencial para a conquista dos objetivos.

O quarto método para a prática da humildade, segundo os mestres taoístas, é o de se “esconder debaixo da Terra”, como a Montanha no hexagrama Humildade. Ela é discreta e não revela seus traços, de forma que sua profundidade e sua altura não possam ser medidas. Quando a pessoa se torna invisível os seus aspectos positivos ficam escondidos, mas também ficam resguardadas as suas fragilidades. Quem se expõe se torna alvo de inveja e críticas e passa a ser vigiado. Quando comete um deslize, inevitavelmente vem o escândalo que poderá ser o estopim de sua destruição.Uma das reações mais naturais ou instintivas do ser humano é a de tentar furar um balão cheio. Então, não se porte como um. Também é aconselhável não se auto-elogiar, pois, se agir assim, só restará aos outros o criticar.

Humildade não é hipocrisia. Quando um doutor se diz analfabeto para simular modéstia revela falta de sinceridade e cria obstáculos para realizar os seus objetivos.

Ao subir a montanha da vida, galgando degraus na carreira profissional, é fundamental preservar o espírito do vale, ou seja, colocar-se abaixo dos colaboradores para receber as informações que são imprescindíveis para se definir as estratégias. O presidente de uma empresa está isolado no topo da montanha e precisa posicionar-se como o vale para conseguir ter acesso à inteligência, olhos e ouvidos de seus companheiros. Com uma visão mais ampla e profunda o líder obterá melhores resultados. Numa reunião de diretoria, por exemplo, ele deve se manter sereno e receptivo e ser o último a se pronunciar, abrindo espaço para que todos exponham suas idéias.

O caminho da humildade, representado pela postura receptiva da terra somada a segurança interior da montanha, conquista a solidariedade de todos e, inevitavelmente, leva à grandes conquistas. Devemos, contudo, ser de-dicados na nossa qualificação, es-forçados no nosso estudo e consistentes como a montanha, pois a humildade não substitui nossas competências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *