Editorial: Sábio do Ano Novo

By Rafael • • 11 dez 2012

Em chinês, a palavra Yuan significa principio. Também é traduzida por grande e tem o sentido de enxergar longe. Lao Zi dizia: “ver o pequeno e enxergar o grande”, ou seja: entender no início, na semente, o possível desenvolvimento de uma questão para melhor administrá-la.

Para entendermos esse ano de 2002 que inicia (no calendário chinês é o ano 4.699, ano do cavalo, com começo em 12 de fevereiro) e o que ele representa em nossas vidas, a consulta ao oráculo do I Ching é de inestimável valor para agirmos de maneira sábia. Independente da resposta do oráculo, podemos definir a conduta sábia de maneira simples – Oscar Wilde dizia: “a simplicidade é o ultimo refúgio do sofisticado”.

O sábio não tem idéia privilegiada, e assim automaticamente não exclui nenhuma idéia. O sábio não tem posição formada, ou seja, não se mobiliza em nenhuma posição. O sábio não tem eu, porque o eu se tornou demasiado estreito para responder à real necessidade da vida. A perspectiva do sábio é totalmente aberta – como não privilegia nada, tudo pode abraçar. A abertura traz fluidez.

Carma em chinês significa aquilo que impede a fluidez, como o apego a um ponto fixo ou a uma posição em particular; ficar prisioneiro de uma situação sem conseguir evoluir. Estagnar, travar.

O ano pede a definição de prioridades. Devemos saber o que queremos conquistar e o que evitar. Se não soubermos definir isso, já estaremos com grandes problemas. Para temos lucidez, devemos conhecer a nossa realidade individual, o local e a situação em que vivemos. Por isso, é fundamental adquirir uma visão antecipada dos diferentes caminhos da vida que se apresentam para melhor nos colocarmos em relação a eles, ao invés de entrarmos em conflito e sofrermos frustrações com nós mesmos e com o destino. É preciso conhecer no presente os benefícios do futuro. O sábio escolhe o ponto de referência do vir a ser cósmico, ele capta a mínima inflexão ainda invisível da lógica em curso no destino pessoal e social, e fluir com naturalidade e harmonia. O destino é algo que se colhe. E o sábio se coloca em posição de colhê-lo.

No ano de 2002, e no ano do cavalo, desejamos paz, lucidez e boa colheita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *