Oráculo

By Rafael • • 11 dez 2012

“No Yi Jing (I Ching) Flor de Ameixeira é possível ler o Destino nos pequenos sinais do cotidiano. A Mutação está nos fatos da vida e pode ser traduzida em Oráculos.”

Jornal Tao do Taoísmo – n. 15 índice

O Professor de Yi Jing (I Ching) e Consultor de Oráculos da Sociedade Taoísta do Brasil, Oscar Maron, fala sobre o Destino, a função oracular e o método dinâmico do Yi Jing (I Ching) Flor de Ameixeira.

O Yi Jing (I Ching) Flor de Ameixeira não necessita de instrumentos como varetas ou moedas.

Como o oráculo do Yi Jing (I Ching) pode auxiliar uma pessoa?
É sempre conveniente a pessoa saber onde está, em que condição se encontra, e quais suas possibilidades reais para realizar seu objetivo naquele momento e naquela circunstância do destino. Muitas vezes em momentos cruciais em nossas vidas, um passo um pouco mais a esquerda ou a direta, pode acarretar anos de boa fortuna ou de infortúnio. Avaliações sábias são um bem cada vez mais precioso no mundo contemporâneo.

A mente, a emoção, o corpo, o dinheiro, o governo, as relações, os empreendimentos, o mundo e o nosso Caminho, enfim, tudo está em mutação e necessita ser constantemente avaliado. Para encontrar o equilíbrio, consigo mesmo e com o mundo, precisamos saber quais as nossas prioridades: o que buscamos e o que estamos evitando na vida, e ter consciência das potencialidades e possibilidades do destino. É ai que entra o Yi Jing (I Ching). Respostas e conquista da sabedoria, eis a função do Oráculo!

O Yi Jing (I Ching) pode prever o destino?
O sábio Shao Yong, da Tradição do Yi Jing (I Ching) Flor de Ameixeira, e mais famoso Mestre de Oráculos da China, enfatizou propositalmente em sua técnica oracular a noção de ver nas coisas o seu Princípio. Ou seja, as suas possibilidades: “ver é ver as coisas com o Princípio inerente às coisas”. Ele teve o cuidado de salientar que suas profecias eram resultado da percepção sobre o Princípio das coisas e não ocultismo.

Se compreendermos os Princípios das coisas, saberemos o que as fazem serem o que são. A palavra Princípio vem do ideograma chinês Yuen e significa ver grande na origem das coisas. A partir do momento em que você, por meio do Yi Jing (I Ching), compreende os princípios e a lógica em curso, que envolvem seu destino e sua vida, pode fazer as escolhas corretas e garantir a vitalidade de seus empreendimentos, de suas relações e de sua existência. Deve-se pensar na complexidade que envolve qualquer tipo de ação, enquanto ela está no início, para que não surja a incapacidade de administração com o seu posterior desenvolvimento. Darwin dizia que o que garante a vitalidade de um organismo é a sua capacidade de fazer adaptações proféticas.

O conceito do Princípio então é fundamental no Yi Jing (I Ching)?
No Yi Jing (I Ching) existem quatro virtudes fundamentais e o Princípio é a primeira delas. As outras virtudes são: Abertura, Harmonia e Retidão.

As virtudes devem ser vistas como quatro etapas de um ciclo: conhecer o Princípio (as potencialidades) permite a Abertura (fluidez e desimpedimento). Através da Abertura podemos fluir com Harmonia (nas relações com as coisas, pessoas, situações e o momento). A Harmonia é necessária para encontrar a Retidão (correção interna e firmeza externa) que permite reencontrar o Princípio e estar sempre pronto a renovar o ciclo da vida a partir de um planejamento lúcido do destino.

Portanto, a resposta oracular é um material bruto – capacidade de prever – e a sabedoria de viver a situação, fluir e transformá-la é o fruto de um trabalho a ser acrescentado.

O destino está escrito?
De uma forma geral, existem situações irreversíveis e situações a serem construídas. O mais importante é ter consciência que o destino é ambíguo e dinâmico, significa não somente o que nos acontece vindo do exterior – o que se espera e não depende de nós – mas principalmente a maneira de lidar com esses acontecimentos. Isso implica em bom ou mau aproveitamento da vida. O mesmo acontecimento vivido por um tolo ou por um sábio, pode gerar infortúnio para o tolo e abertura para o sábio.

O Oráculo do Yi Jing (I Ching) baseia-se na clareza mental: saber o que você quer, saber com que situação está lidando e como fazer essa situação funcionar a seu favor.

A partir da compreensão dos Princípios dinâmicos dos acontecimentos em curso, o oráculo permite a conscientização do momento, situação e circunstância do destino do consulente. Com isso possibilita reformular a influência do passado no presente, ao mesmo tempo em que permite intervir no futuro através de ações sábias e eficazes no presente.

O que caracteriza o método oracular do Yi Jing (I Ching) Flor de Ameixeira?
Shao Yong, Mestre de Yi Jing (I Ching) da Flor de Ameixeira, podia ler o destino a partir de qualquer pequeno detalhe do cotidiano que lhe atraísse a atenção.

A Mutação está nos fatos da vida ou nos pequenos sinais do cotidiano ao nosso redor. Na consulta oracular da Flor de Ameixeira, todas as formas, fatos e sinais que observamos em nossas vidas no cotidiano podem ser associados aos números e símbolos do Yi Jing (I Ching) e, assim, transformados em oráculos que desvendam o princípio, a dinâmica e o destino da pergunta.

O método do Yi Jing (I Ching) Flor de Ameixeira não necessita de moedas ou varetas para consulta. Possui uma técnica oracular, dinâmica e surpreendente, que permite a quem dominá-la fazer um oráculo mentalmente, num piscar de olhos, no exato momento da dúvida, sem utilizar o livro. A resposta pode ser obtida em pleno trabalho ou no meio de uma conversa, sem que ninguém perceba. Ou seja, o oráculo se torna uma extensão prática do estudioso.

Para quem só conhece a versão do Yi Jing (I Ching) em livro, o método dinâmico da Ameixeira e suas possibilidades de interpretação oracular são surpreendentes. A resposta oracular vem através de uma fórmula matemática de fácil execução e trabalha com três hexagramas em conjunto, que representam a situação atual, a dinâmica e a perspectiva futura. A interpretação relaciona análises diversas (trigramas, hexagramas, texto, 5 movimentos, dados astrológicos, etc), fornecendo sobre a pergunta um quadro rico de perspectivas de interpretação.

O método então é bem diferente da tradicional consulta de moedas e leitura do livro?
Mas, os princípios são os mesmos. Na linhagem oracular do I Ching, surgiram diversas Tradições, com diferentes recursos de interpretação e formas diversas de consultas e, com o passar do tempo, escolas de características diferentes se consolidaram.

O livro de Yi Jing (I Ching) que já se popularizou no Ocidente é da Tradição Zou I. Essa escola dá ênfase à leitura oracular dos textos clássicos, que são posteriores aos Gua, símbolos originais (trigramas e hexagramas) do Yi Jing (I Ching). O livro é uma versão de uma parte dos conhecimentos de Yi Jing (I Ching), tendo sido criado milhares de anos depois, para simplificar e facilitar o entendimento da dinâmica dos símbolos originais e da numerologia do Yi Jing (I Ching).

A Tradição do Yi Jing (I Ching) Flor de Ameixeira – Mei Hua Yi Shu – desenvolvida por Shao Yong é originada de um sistema de Yi Jing (I Ching) taoísta chamado “Shang Tian Yi Xue”, literalmente “O Estilo do Yi Jing (I Ching) do Céu anterior”. Esse método é baseado no conhecimento da numerologia e dos símbolos do Yi Jing (I Ching), que posteriormente deram origem aos textos clássicos do livro..

Quer dizer que a essência do Yi Jing (I Ching) está nos números?
Sim. Os números sempre fascinaram os sábios chineses. Na antigüidade, quando a região da China era chamada de “Grande Pântano do Sonho e da Nuvem”, Fu Xi, o chefe mais sábio de todas as tribos, criou os símbolos do Yi Jing (I Ching) ao descobrir que, em todas as existências do universo, há uma síntese composta por duas energias: a energia Yin, representada pelos números pares, e a Yang, representada pelos ímpares. Lao Tsé observou no Tao Te Ching: “O Tao gera o um, o um gera o dois, o dois gera o três e o três gera as dez mil coisas”. O princípio numérico da Mutação permeia o universo do início ao fim.

Shao Yong fundamentou toda sua filosofia na construção de um sistema de progressão numérica, integrado com os ciclos de mutações: “O funcionamento universal, ou Mutação, se deve ao espírito, que origina o número, o número origina a forma e a forma origina as coisas concretas”.

Segundo ele, todas as coisas têm um Princípio e esses Princípios podem ser discernidos em termos numéricos. Não é a toa que em chinês o ideograma Suan significa ao mesmo tempo, prever e calcular. Se conhecermos a “matemática” do ciclo das mutações, poderemos entender a lógica em ação em nosso destino. Até mesmo as moedas ou varetas utilizadas em uma consulta de Yi Jing (I Ching) Tradicional, representam os números do Céu (Yang) e da Terra (Yin).

Qual o conselho para quem interpreta o Yi Jing (I Ching)?
Estudar e meditar. Agimos em função das avaliações que fazemos e as respostas são interpretadas de acordo com o nível de conhecimento e consciência do consultor. Se a pessoa tem um conhecimento superficial do I Ching, ela vai usar a resposta dentro da superficialidade dela. O homem é prisioneiro do seu horizonte, participa das coisas e se engaja na ação, na medida da sua compreensão. Além do domínio das técnicas de consulta e do conhecimento dos signos do Yi Jing (I Ching), uma interpretação oracular necessita de estudos clássicos e esclarecimentos quanto aos seus princípios, conceitos e utilização de forma sábia.

Meditar é a base do trabalho do oráculo. Traz a paz interior que permite a serenidade, desenvolve a intuição e a percepção sensível das coisas, possibilitando o desenvolvimento espiritual. No oráculo, assim como na vida, para observar e avaliar com clareza qualquer situação do destino é preciso ter o silêncio para conseguir escutar a resposta, a transparência interna para conseguir enxergar, não ficar atolado em apegos, e manter o espírito aberto a todas as tendências. Para isso, é necessário romper a subjetividade imposta pelo ego e ver as coisas do ponto de vista e Princípio das próprias coisas.

Estudar é imprescindível. Ter a orientação de um Mestre é um barco que permite a travessia para o estudo do Mistério. Na tradição taoísta, os Mestres de oráculos são estudiosos, especialistas na análise do destino. E muitos conhecimentos do oráculo do Yi Jing (I Ching) são passados de forma oral iniciática, diretamente do Mestre para o discípulo.

Qual o principal benefício do estudo do I Ching?
O estudo do Yi Jing (I Ching) visa o enriquecimento de sua personalidade e o aprimoramento de seu Caminho; o resto, seja governar pessoas ou lidar com as coisas, é complementar.

O Yi Jing (I Ching) é o Tratado raiz do taoísmo. É um portal, uma abertura para a experiência do Mistério que está além das possibilidades de descrição. Abrange um conjunto de ensinamentos que inclui: meditação, ciência, estratégia, alquimia, cosmologia, filosofia e matemática.

Porém, antes de tudo, o Yi Jing (I Ching) é um tratado divinatório e o ideal do aprendizado do oráculo é criar o Sábio em si. O Yi Jing (I Ching) é a lingua do Tao, desvenda a linguagem que ordena e anima o mundo. Foi criado pelos sábios para entrar em contato com o Tao. A arte do Yi Jing (I Ching) alcança sua plenitude quando a pessoa, através de estudos e práticas, consegue incorporar a sabedoria do oráculo e transformar sua consciência e sua vida.

Ao atuar naturalmente de forma sábia, agindo da mesma maneira que o Oráculo faria, a pessoa torna-se então um “I Ching vivo”. Ou seja, a sabedoria está enraizada na sua consciência e tudo o que ele faz procede dela.

O Yi Jing (I Ching) é a “Arte do Caminho” e o principal no Caminho do Yi Jing (I Ching) é saber conjugar a inteligência individual com a inteligência das mutações. Como diz o ditado taoísta: “tivesse eu o menor grau de sabedoria, andaria pela grande Via e meu único temor seria desviar-me dela”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *