Tai Chi Chuan: Energia, Arte Marcial, Filosofia e Forma

By Rafael • • 11 dez 2012

Bruno Kelson Professor de Tai-Chi-Chuan Sociedade Taoísta do Brasil

Quase a totalidade dos praticantes de Tai-Chi-Chuan entendem essa prática como uma terapia corporal que proporciona inúmeros benefícios para o organismo, em pouco tempo. Essa maneira de vislumbrar o Tai-Chi-Chuan é muito especial.

O Tai-Chi-Chuan foi criado por Sacerdotes Taoístas que em retiros espirituais sempre o utilizavam como uma ferramenta que pudesse lhes pudesse proporcionar uma ótima saúde física, energética e espiritual, para que eles pudessem permanecer em meditação por longos períodos de tempo. O Tao, ou o Absoluto tem na meditação o caminho espiritual por excelência.

Se dissecarmos a palavra Tai Chi Chuan teremos:

  • Tai Chi: uma outra forma de energia onde a dualidade energética Yin e Yang estão em perfeito equilíbrio, de tal forma que se tornam uma unidade muito mais pura e sutil.
  • Chuan: tem ao mesmo tempo três significados. Flexibilidade, agilidade e punho. Punho nos remete a idéia de arte marcial.

Tai-Chi-Chuan, portanto significa uma arte marcial ágil e flexível, cuja prática, nos proporciona alcançar um estado energético onde estaremos em perfeito equilíbrio.

Dos três parágrafos acima podemos deduzir que o Tai-Chi-Chuan advém das práticas taoístas, ou seja, é pura filosofia taoísta, que visa o cultivo espiritual. É uma arte marcial que detém uma seqüência de movimentos, ou seja, uma forma, que sustenta um trabalho energético. Essa prática é, portanto, arte marcial, forma, trabalho energético e filosófico.

Se o praticante não entendê-la como arte marcial, ele dificilmente vai poder realizar a forma na verdadeira extensão de cada movimento, e o trabalho energético será, portanto, prejudicado.

Se o praticante não souber dos conceitos filosóficos e praticas Taoístas, ele não compreenderá que os movimentos são simplesmente uma forma de expressão do Tao. Do caminho que deveremos seguir com equilíbrio, sensibilidade, humildade e consciência. Da verdadeira integração do homem com o céu e a terra.

A ênfase no aspecto marcial, filosófico, energético ou coreográfico, vai depender de seu mestre.

Na Sociedade Taoísta do Brasil, por exemplo, o Tai-Chi-Chuan se fundamenta nos conceitos e técnicas da alquimia interior taoísta, cujo trabalho é realizado basicamente a nível energético. De acordo com o Gran Mestre Wu Jyh Cherng, a alquimia espiritual nos mostra o caminho de reintegração da integridade do ser.

O Tai-Chi-Chuan é uma prática holística. Ele é como o Tao. Indivisível. E deve ser praticado como tal. Se negarmos um dos seus aspectos, em detrimento de outro, não estaremos praticando o verdadeiro Tai-Chi-Chuan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *