Mestre Wu Jyh Cherng

By Riefi • • 22 out 2012

Mestre Wu Jyh Cherng

(1958-2004)

Mestre Wu Jyh Cherng entre sacerdotes diante do altar do Templo da Transparência Sublime – Sociedade Taoísta do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 2000

Wu Jyh Cherng, Sacerdote Taoísta, fundador e regente da organização denominada Sociedade Taoísta do Brasil, era o pontífice máximo do Taoísmo no Brasil e na América Latina. Recebeu de seus superiores, em Taiwan, o título de Kao Kon Fa Shi (Sacerdote de Alto Ofício, Mestre da Lei).

Mestre Cherng nasceu em Taiwan, em 1958, e em 1973 mudou-se com seus pais para o Brasil, onde foi viver no Rio de Janeiro. Seu pai, Wu Chao Hsiang, médico formado pela Faculdade de Medicina de Taipei (Taiwan) e Mestre em Tai Chi Chuan pela Sociedade Chinesa de Tai Chi, foi um dos primeiros introdutores da acupuntura e das artes marciais no Brasil, Rio de Janeiro, onde fundou o Instituto de Cultura Chinesa. Na infância, ainda na China, Mestre Cherng teve seu primeiro contato com o taoísmo: começou a ser treinado por seu pai na meditação e em artes orientais, como Tai Chi Chuan, Chi Kun, Pa Kua, Xin Yi. Posteriormente, no Brasil, continuou seu treinamento, incluindo então a Acupuntura e a Medicina Chinesa.

No início da década de 80 viajou ao seu país de origem para estudar com os grandes mestres taoístas da atualidade. Retornando ao Brasil abriu uma academia no Leblon, Rio de Janeiro, para ensinar Tai Chi Chuan e Acupuntura. Paralelamente, iniciou seu projeto de difusão do Taoísmo no Brasil, compartilhando seus estudos com um grupo de brasileiros que se formou à sua volta. Passou a ministrar, naquele espaço, palestras semanais sobre a filosofia taoísta.

Viajou mais uma vez para o Oriente e no ano de 1987 recebeu de seus mestres da Sociedade Taoísta da China, em Taiwan, a ordenação de Sacerdote Taoísta. Na volta, lançou, em 1990, junto com o grupo que o acompanhava, as bases do que viria a ser a Sociedade Taoísta do Brasil, criada no ano seguinte. Até o momento, esta é a única instituição que representa oficialmente o Taoísmo na América Latina, vinculada à Sociedade Taoísta da China (Ordem Ortodoxa Unitória, escola Zheng Yi), órgão dirigente do Taoísmo mundial, com sede em Taiwan.

A partir da fundação da Sociedade Taoísta do Brasil, teve início a transmissão da linhagem taoísta para o Brasil, via Rio de janeiro. Desde então, Mestre Cherng se dedicou a preservar e difundir no Brasil os ensinamentos do Taoísmo Ortodoxo, introduzindo, aqui, a milenar Tradição Taoísta dos sábios chineses, em todas as suas expressões: espiritual, filosófica, cultural e científica.

Conseguiu conjugar um templo (Templo da Transparência Sublime) e uma escola de artes taoístas num mesmo espaço, a sede da Sociedade Taoísta do Brasil, imóvel no bairro do Cosme Velho, zona sul do Rio de Janeiro, para que os sacerdotes, professores e seguidores do Tao pudessem dar continuidade ao “Caminho” e aos estudos taoístas, sempre que ele estivesse ausente, em retiros programados.

Em 2002, sob seu comando, a Sociedade Taoísta do Brasil inaugurou o segundo Templo Taoísta do Brasil, na cidade de São Paulo, no bairro da Aclimação.

Mestre Cherng deixou como legado o trabalho pioneiro que realizou na difusão da tradição taoísta no Ocidente. Abriu aos ocidentais o caminho do sacerdócio taoísta para brasileiros, não pertencentes à colônia chinesa. Em 1991 foram ordenados os primeiros Sacerdotes Taoístas brasileiros, em Taiwan, seguidos de outras duas turmas, em 1998 e 2003, primeiros ocidentais a terem acesso, no Brasil, à parte mais hermética da tradição taoísta e a receber, fora da China, a ordenação de sacerdotes.

Seu trabalho no Brasil, conseguiu resgatar o caráter integrado do ensino da tradição taoísta, oferecendo no mesmo espaço o ensino da meditação, a realização de práticas devocionais, palestras sobre filosofia e cursos das artes – o que não acontece, atualmente, nem mesmo na China. Recebeu total apoio por parte dos dirigentes do Taoísmo Mundial, a ponto de inspirar a Sociedade Taoísta da China a absorver sua experiência didática e tomá-la como modelo, para a reformulação do ensino em Taiwan, na transmissão de práticas taoístas aos jovens orientais.

Durante 18 anos à frente desse trabalho de difusão no Brasil, Mestre Cherng divulgou os princípios filosóficos e místicos do taoísmo, que têm sua origem na Antigüidade chinesa, viajando regularmente para o Oriente, em busca de autênticos conhecimentos taoístas, traduzindo esses ensinamentos diretamente do chinês arcaico para o português e os repassando, como doação, para todos que estivessem minimamente interessados no que ele se dispunha a ensinar. São conceitos raros, que beneficiam a todos que os praticam, gerando harmonia interior e libertação do espírito, rumo à integração ao Tao.

Ensinou técnicas taoístas de meditação, alquimia interior e ritos espirituais, compostos de cânticos e mantras. No Templo da Transparência Sublime, ministrava palestras semanais gratuitas, abertas ao público que comparecia em bloco, cativo, em busca dos conhecimentos que ele transmitia, com a generosidade que se adivinha num verdadeiro Mestre Espiritual.

Falando português fluente e dono de vasto vocabulário de alto nível, conseguia se comunicar com seus interlocutores de uma maneira sutil e elegante e, com isso, se fazia compreender por todos que o ouviam, independentemente do nível de questões que se apresentassem.

Deixou uma geração de professores especializados, formados em diversas Artes Taoístas, como I Ching (Tradicional e Flor de Ameixeira), Tai Chi Chuan, Tai Chi Jian (Espada Tai Chi Chuan), Chi Kun, Tui Na, Shiatsu, Feng Shui (Escola Ba Zhai e Escola Xuan Kon Fei Xin), Astrologia Chinesa (Zi Wei Dou Shú), Estratégia (Arte da Guerra) e Caligrafia.

Mestre Cherng escreveu diversos livros sobre Taoísmo e artes taoístas, tendo traduzido também o Tao Te Ching – O Livro do Caminho e da Virtude – diretamente do chinês para o português, entre outros clássicos do taoísmo.

Além disso, deixou inúmeras obras escritas e traduzidas, do Cânon Taoísta e de autores clássicos, até hoje inéditos no Ocidente, para serem publicadas futuramente. Seu acervo inclui milhares de horas de fitas cassete e de vídeos, com registros da voz e da imagem de palestras e aulas, gravadas por seus discípulos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *