O Tripé no Caldeirão

By Rafael • • 19 nov 2012

Artigo do Jornal Magnus – jornal interativo Ano V – nº 64 – Maio de 2002

O TRIPE DO CALDEIRÃO

O Taoísmo é uma tradição muito antiga, praticada e desenvolvida ao longo dos milênios, a partir das experiências, estudos e revelações de inúmeros mestres que atingiram altíssimos níveis de elevação espiritual.

Diferente de outras tradições, o Taoísmo não tem um fundador. Sua origem remonta aos primórdios da civilização humana. A partir da observação da natureza e seus fenômenos, os antigos mestres taoístas formularam toda uma visão filosófica da vida e do universo, desenvolvendo um sofisticado sistema de codificação das leis fundamentais que regem os movimentos cósmicos: o I Ching – Tratado Sagrado das Mutações.

Porem, ao mesmo tempo em que fundamenta a base filosófica do Taoísmo, a sabedoria do I Ching é essencialmente prática, podendo ser utilizada amplamente para auxiliar o homem em sua vida cotidiana. Assim, ao ser aplicado à Medicina, o I Ching fornece as bases para a compreensão das enfermidades, seu diagnostico e tratamento, através da acupuntura, massagens, qi gong e fitoterapia. Aplicado ao estudo dos ambientes, dá origem ao Feng Shui, com suas técnicas de aproveitamento e harmonização das energias dos ambientes e imóveis.

Aplicação às artes marciais, dá origem ao Tai Chi Chuan, entre outras artes de cultivo da saúde e logenvidade. Aplicado à meditação, orienta as técnicas de alquimia. Pode ser aplicado em qualquer área de conhecimento humano: na estratégia, na política ou na psicologia.

A busca pelo Tao é a busca pela própria unidade, a integração harmônica e dinâmica entre os opostos: claro e escuro, externo e interno, alto e baixo, quente e frio, visível e invisível. Mas nem tudo na vida é explicável… Tão vasto e significativo quanto o reino do visível é o reino do Mistério.

Por isso, uma outra vertente do Taoísmo, menos difundida por motivos históricos é a própria religião. Não no sentido da organização ou instituição religiosa. Mas sim como a busca pela espiritualidade, como o caminho de reencontro com o que há de mais divino em nós e no universo, como o retorno a um estado mais pleno de vida e consciência, de equilíbrio e autenticidade. Assim, o Taoísmo, em sua essência, não pode ser separado em filosofia, ciência e religião, sem que haja algum prejuízo no todo.

Três pernas sustentam o caldeirão, em cujo bojo, processa-se a alquimia: uma matéria-prima originalmente dura, rústica e de sabor muito agradável, transforma-se em algo macio, refinado, altamente nutritivo e saboroso. Se uma das pernas do caldeirão se quebra, ele não se sustenta: tomba e cai! E assim, ‘o Duque não se alimenta do saboroso faisão!” (I Ching)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *