“Réveillon” à Chinesa

By Rafael • • 6 dez 2012

Primeira festa de Ano Novo chinês na cidade invade as ruas do bairro; novo ciclo será do cachorro

SP comemora o ano 4703 na Liberdade

JULIANA DORETTO
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA (Folha Turismo, 26 de janeiro de 2006)
Não se assuste. Três leões poderão ser avistados nestes sábado e domingo na praça da Liberdade, em São Paulo, mas nenhum zoológico abriu suas jaulas. É apenas uma das danças que serão apresentadas durante a inédita festa de Ano Novo chinês na capital, comemorado em 29/1.
A esperança é que cerca de 100 mil pessoas assistam às apresentações gratuitas de bailado, música e artes marciais que ocorrerão durante o fim de semana. Barraquinhas com quitutes e artesanato orientais também tomarão o bairro. É a primeira vez que o novo ano da China é comemorado em praça pública paulistana.
Os leões da dança serão bonecos -um vermelho, um preto e um colorido-, representando a prosperidade, a força e a bondade. Outra dança ritualística que será executada é a do dragão, que tem cerca de 2.000 anos e significa a prosperidade agrícola e a renovação. Bailarinos movimentam uma espécie de boneco, representando o monstro fabuloso. Haverá até aulas de mandarim, de graça. Professores ensinarão algumas palavras do complexo idioma, além de dar conselhos de como se comportar em um encontro com chineses. Um exemplo: relógios e chapéus não são bons presentes para eles: o primeiro gesto significa ajudar um parente moribundo, e o segundo, que se trata de um marido traído. Os minicursos ocorrem na sede da Associação Comercial do bairro, na r. Galvão Bueno, 83.
Além da festa na Liberdade (organizada pela Junior Chamber International, uma federação mundial de empreendedores), um templo taoísta, na Aclimação, e outro budista, em Cotia (33 km de São Paulo), farão celebrações. O calendário chinês é lunar -os meses são medidos pela mudança da fase da lua; a cada lua nova, começa um novo mês-, mas também solar -uma revolução da Terra ao redor dessa estrela é um ano.
Sua origem remonta, segundo os taoístas, à época do imperador Amarelo, que unificou os povos chineses e definiu um calendário único, tomando como marco zero um grande alinhamento de planetas ocorrido então. “É um calendário que existe em todas as religiões orientais, mas cada um puxa a sardinha para o seu lado em relação à origem”, explica Luiz Raposo Almeida, astrólogo e sacerdote taoísta.
O novo ano será o 4703, durará até o dia 17/2/2007 e, de acordo com a astrologia chinesa, em seus diversos ramos, receberá o nome do cachorro, com o elemento fogo. O de 4704 será o do porco.

Canino

“Cada ano é um ano. Mas, como o cachorro representa a família, as pessoas próximas, será um ano em que, de modo geral, as pessoas estarão voltadas para seus próprios grupos, ficarão mais perto deles”, afirma Almeida.
As cores do novo ano serão o ocre, o amarelo, o mostarda e o bege, por serem tons ligados à terra, o elemento primordial do cão. E elemento do ano também influi: “Se fosse o cachorro de madeira, seria tudo mais desgastante. Como é de fogo, serão problemas de menor grau”, completa o astrólogo taoísta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *