Voltar para Material

Cânone Taoista

Cânone Taoista

(Dao Zang 道藏)

 

O Cânone Taoista é a coletânea  de todos os textos taoistas escritos ao longo da existência do taoismo. Para um taoista erudito, o cânone é a principal fonte de conhecimento; para os sacerdotes, é o local onde pode-se encontrar todo o conhecimento teórico da alquimia, todos os textos e suas explicações, além de todo o conhecimento sobre a liturgia e a magia.

Para um historiador ou um teólogo, o Cânone contém todos os dados sobre a teologia e sobre a história.

A Sociedade Taoista do Brasil oferece a todos os pesquisadores sobre taoismo, um breve resumo sobre essa coletânea tão importante para o pensamento taoista.

História do Cânone Taoista:

Desde quando começou a governar, em 1403, Zhudi ordenou que seus súditos juntassem, copiassem e editassem toda a literatura existente em sua época, literatura esta que deveria ser inclusa no Grande compêndio do período de Yong Le..

O imperador Yong Le ordenou no verão do ano de 1406 que Zhang Yuchu, então quadragésimo terceiro sucessor da linhagem do Mestre Celestial, editasse uma coleção completa das escrituras taoistas.

Assim que recebeu o convite do imperador, Zhang Yuchu começou a coletar as obras, muitas das quais provavelmente deve ter encontrado na biblioteca da montanha do tigre e do dragão, em Jiangxi. Outros textos devem ter vindo da biblioteca imperial, como os comentários imperiais ao Tratado do caminho e da virtude.

O cânone taoista precisou de quarenta anos para ficar pronto. A esta altura, o imperador já havia morrido, e o seu sucessor, Xuande, não estava interessado no trabalho de Yongle. Tendo Zhengtong (正統) tornado-se o novo imperador em 1436, publicou o cânone em 1447, sob o título oficial de Repositório de escrituras taoistas da grande Ming (大明道藏經). O cânone foi distribuído para os maiores centros taoistas, como um presente imperial.

Durante a dinastia Ming, o taoísmo recebeu grande apoio por parte do Estado. A dinastia seguinte (Qing,1644-1912) não favoreceu o taoísmo da mesma maneira, desejando até mesmo diminuir o seu status dentro da sociedade chinesa. Os soberanos machu reprimiram o taoísmo a tal ponto que em 1920 pouquíssimas cópias do cânone taoísta ainda existiam. Estas cópias foram reproduzidas em 1926, o que garantiu a preservação deste legado cultural.

O cânone da dinastia Ming guarda aproximadamente 1500 textos, das mais diversas categorias. A proeminência é dada aos textos litúrgicos, que incluem as escrituras que devem ser recitadas, os hinos que devem ser cantados e as instruções de visualizações que devem ser usadas nos ritos de purificação (齋) e oferenda (醮). As escrituras são muito importantes para a tradição taoista, pois são essenciais na transmissão do caminho.

Antes da dinastia Ming existiram outras compilações de textos taoistas, mas ou elas foram perdidas ou foram incorporadas ao cânone de Zhengtong. A história detalhada do cânone taoista é um assunto para outro texto.

Divisão do Cânone

O daozang é dividido em sete partes: três cavidades e quatro suplementos.

Três cavidades: As três cavidades são: cavidade verdadeira, cavidade misteriosa e cavidade divina, que correspondem, respectivamente, aos graus superior, mediano e inferior do rito de iniciação ao sacerdócio taoista.  Cada cavidade tem obras dividas nas seguintes categorias: textos, talismãs, comentários, diagramas e ilustrações, histórias e genealogias, preceitos, cerimônias, magia, artes, biografias, hinos e memoriais.

A cavidade verdadeira, compreende as doze divisões de tratados revelados pelo Senhor do Tesouro Celeste, é o caminho do grande veículo;

A cavidade misteriosa, compreende as doze divisões de tratados revelados pelo Senhor do Tesouro Espiritual, é o caminho do veículo médio;

A cavidade divina, compreende as doze divisões de tratados revelados pelo Senhor do Tesouro Divino, é o caminho do pequeno veículo.

Quatro suplementos: Os quatro suplementos são: divisão do sublime mistério, divisão da sublime paz, divisão da sublime transparência e divisão da ortodoxa unitária.

Sublime mistério, formado pelo texto de cinco mil palavras de Laozi e todos os tratados abaixo dele: usado para suplementar a cavidade verdadeira;

Sublime paz, formado pelo Tratado da sublime paz: usado para suplementar a cavidade misteriosa;

Sublime transparência, formado por todos os tratados do elixir de ouro: usado para suplementar a cavidade divina;

Ortodoxa unitária, é a reunião das três cavidades e dos três suplementos. Os quatro suplementos menos a divisão da ortodoxa unitária se chama por os três sublimes.

Importância do Cânone:

Além de inúmeros textos, as três cavidades do cânone contêm, respectivamente, os textos da Transparência Superior, do Tesouro do Espírito e dos Três Soberanos. O cânone preservou um importante legado da cultura literária taoista. Os textos da Transparência Superior são considerados pelos estudiosos como tendo altas qualidades literárias. Enquanto as primeiras escrituras da ortodoxa unitária apelam para uma linguagem mais seca e jurídica, os textos da Transparência Superior fazem uso de ricas imagens e de inúmeras metáforas.

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.