«

»

abr 15

Alquimia da Mente

Lembro muito bem das brilhantes supervisões com a professora Paulina Cymrot, na Faculdade de Psicologia, quando ela nos fascinava com a sua “mágica”.

Ao longo do último ano fazíamos o acompanhamento psicológico de um paciente, em atendimentos semanais, sob a orientação da professora. A cada semana passávamos pela supervisão, relatando a ela e aos colegas o que havia acontecido na sessão daquele período.

O mais interessante e impressionante, para mim, era a habilidade da professora em captar a essência do que acontecia nos atendimentos, mesmo a partir dos relatos mais superficiais e concisos. Ela parecia conseguir “ouvir o que não era dito” e traduzir as nuances mais sutis dos nossos encontros com os pacientes. Na verdade, parecia que ela estava mais presente nos atendimentos do que nós mesmos! Para mim, aquilo era pura magia!

Mais ainda: além de pontuar as questões fundamentais trazidas pelos pacientes, ela ainda apontava as nossas próprias questões pessoais emergindo, ao atuarmos como terapeutas! Isso dava até um certo medo…

E quando mencionávamos a sua habilidade em captar as sutilezas dos atendimentos, dos pacientes e de nós mesmos, ela ainda nos dizia que tudo aquilo não era nada sutil, mas completamente explícito!! Nessa hora eu percebia que o caminho seria bem longo…

Mas de todo este riquíssimo processo de aprendizado e transformação com a professora Paulina, o mais marcante para mim foi a expressão usada por ela para sintetizar a “magia” que dedicadamente buscava nos ensinar: a arte de “ler as pessoas”.

Não sei o quanto aprendi desta sua arte preciosa, mas sei que fui profundamente influenciado por esta forma de pensar. Inclusive e principalmente no meu caminho como consultor e professor de I Ching, o Livro das Mutações, onde percebi que precisava aprender a arte de “ler a circunstância”.

Neste caminho de estudo do I Ching, outro aprendizado é fundamental: a mesma circunstância pode ser “lida” de formas completamente diferentes, dependendo do ponto de vista adotado para observá-la!

 Talvez você já tenha visto um poema que circula nas redes sociais, chamado “Pretty Ugly” (“Belo Feio”), de Abdullah Shoaib. Fiquei encantado com este exemplo de como uma simples mudança de ponto de vista pode inverter completamente a nossa leitura da circunstância! Reproduzo abaixo o poema, tomando a liberdade de ousar uma tradução livre, só para facilitar a leitura de quem não lê inglês.

Primeiro, leia o poema normalmente. Depois leia de baixo para cima.

Pretty Ugly

by Abdullah Shoaib

I’m very ugly

So don’t try to convince me that

I am a very beautiful person

Because at the end of the day

I hate myself in every single way

And I’m not going to lie to myself by saying

There is beauty inside of me that matters

So rest assured I will remind myself

That I am a worthless, terrible person

And nothing you say will make me believe

I still deserve love

Because no matter what

I am not good enough to be loved

And I am in no position to believe that

Beauty does exist within me

Because whenever I look in the mirror I always think

Am I as ugly as people say?

(Now read bottom up)

Belo Feio

por Abdullah Shoaib

Eu sou muito feio

Então não tente me convencer que

Eu sou uma pessoa muito bela

Porque no final do dia

Eu me odeio a cada dia

E eu não vou mentir para mim mesmo dizendo

Que existe uma beleza relevante dentro de mim

Então esteja certo que eu me lembrarei

Que eu sou uma pessoa inútil e terrível

E nada do que você disser me fará acreditar

Eu ainda mereço o amor

Porque não importa o que aconteça

Eu não sou bom o suficiente para ser amado

E eu não estou na posição de acreditar que

A beleza existe dentro de mim

Porque ao me olhar no espelho eu sempre penso

Eu sou tão feio quanto as pessoas dizem?

(Agora leia de baixo para cima)

É certo que algumas vezes, para mudar a vida, é realmente necessário virá-la de cabeça para baixo! Outras vezes, porém, o que precisamos é ler a vida ou a nós mesmos por uma outra perspectiva!

Se quiser refletir um pouco mais sobre este tema, fica o nosso convite para assistir à  palestra “Alquimia da Mente”, aberta em Taoismo Online. Nela usamos os próprios ensinamentos do I Ching para entender como o exercício de “ler a vida e a nós mesmos” por outro ponto de vista pode beneficiar a nossa saúde!

CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR

Saúde e longevidade!

Wagner Canalonga

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of